quarta-feira, 29 de abril de 2009

Liga dos Campeões

Terminou há instantes o segundo jogo das meias-finais da Liga dos Campeões. O Manchester United derrotou, em Old Trafford, o Arsenal por 1-0 com um golo de John Oshea.

Desta vez, o Arsenal teve mais sorte que o FC Porto no Estádio do Dragão pois o remate mais perigoso de Cristiano Ronaldo bateu na barra.

Bom, mas não é para lamentar a falta de sorte dos "dragões" que estou a escrever este comentário. A verdade é que as partidas das meias-finais da "Champions" não foram dignas de serem jogos daquela que é considerada a melhor competição do mundo a nível de clubes. Pelo menos, a nível exibicional.

O resultado do Chelsea em Barcelona deixa boas perspectivas para os londrinos voltarem a marcar presença na final de Roma, após terem sido vencidos pelo Manchester United na final do ano passado, disputada em Moscovo. As pessoas criticam o facto dos "blues" terem apresentado uma estratégia extremamente defensiva contra o Barcelona. Mas já agora, quem joga de peito aberto frente a este Barça? Arrisco-me a dizer que agora ninguém porque até há bem pouco tempo, na liga espanhola, as equipas faziam-no e os resultados dos catalães só eram notícia quando não venciam por mais de três golos de diferença.

Para além disso, o treinador que apenas está a orientar o Chelsea para fazer um favor a Abramovich, Gus Hiddink, anda no futebol há tempo suficiente para não se ter deixado caír na tentação de conseguir uma heróica vitória em Camp Nou. Para além de mais, teve de utilizar um defesa-direito no lado esquerdo para tentar parar Messi, muito provavelmente o sucessor de Cristiano Ronaldo como melhor jogador do mundo. A verdade é que a aposta foi ganha e o nome do jogador é... José Bosingwa. Talvez venha a ser o novo defesa-esquerdo adaptado de Queirós para a selecção, mas essas são outras conversas.

Portanto, o Chelsea fez um jogo feio contra uma equipa que gosta de jogar bonito mas agora adiou todas as decisões para Stanford Bridge, onde certamente irá contar com o apoio de uma ferverosa massa adepta, e poderá carimbar em casa a passagem à final, eliminando, para mim, a equipa, que pelo futebol que pratica, mais merece ganhar a competição.

Mas, por outro lado, quem tem Messi, Thierry Henry, Samuel Eto'o, Xavi, Puyol e muitos outros jogadores de elevada qualidade, arrisca-se a derrotar qualquer adversário em qualquer estádio.

Por sua vez, o Manchester United vai jogar ao Emirates Stadium com a vantagem de um golo e, na minha opinião, deverá conseguir carimbar o passaporte para a final de Roma e reeditar, assim, a final do ano passado.

A não ser que o Arsenal faça um jogo diferente, para melhor claro, daquele a que nos tem habituado esta temporada, é que poderá aspirar a ultrapassar os "reds".

O engraçado é que há 50 por cento de hipóteses da final ter os mesmos adversários de finais recentes. Por exemplo, um Arsenal vs Barcelona (em 2006 o Barça venceu o Arsenal em Paris por 2-1) ou um Manchester United vs Chelsea (o ano passado o Man Utd venceu na marcação das grandes penalidades, após um empate a um golo nos 90 minutos mais prolongamento).

Na minha opinião, as equipas que se vão qualificar para Roma serão o Manchester United e o Chelsea, mas em tempo próprio o tempo dirá se tenho o palpite certo ou não.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Entrevista a Armindo Araujo

O piloto Armindo Araujo revela que o rali de Portugal é uma das melhores provas do circuito mundial e descreve como "fantástico" o facto de ter passado para primeiro lugar no Campeonato de Produção, na prova disputada no Algarve. O automobilista, natural de Santo Tirso, que se sente um orgulho para o país, também afirma que o rali português ainda tem muito que evoluir.


Como classifica a sua prestação no rali de Portugal?
O rali de Portugal correu muito bem. Desde o início que delineamos uma boa estratégia, nunca cometemos erros, a Mitsubishi esteve à altura e juntos fomos construindo uma vitória, que começou muito antes do início do rali. Tudo correu pelo melhor, não tivemos azar nenhum e foi uma vitória muito gratificante porque nos permitiu passar para a frente do campeonato do mundo, ainda por cima no nosso rali.

Então, posso concluir que superou as expectativas.
O que posso dizer é que a prova correu muito bem. Passar para o primeiro lugar do campeonato do mundo de produção era um objectivo que perseguíamos há muito tempo mas o facto de isso ter acontecido em nossa casa foi realmente fantástico.


Antes da prova disse que o rali de Portugal era uma das melhores competições do campeonato do mundo. Continua com essa opinião?

Sim, sem dúvida. Eu estou no campeonato do mundo e, portanto, posso fazer uma comparação e uma avaliação mais correcta sobre a organização das provas. O rali de Portugal está num campeonato superior porque a organização é muito boa, tem muita qualidade e, portanto, não há motivo para que Portugal saia do calendário do campeonato do mundo.

E qual é a opinião dos pilotos estrangeiros?
Penso que é a mesma opinião. Todos os pilotos me dizem que os portugueses são muito bons a nível organizacional, o público gosta muito de ralis, algo que é muito importante, e o país tem umas infra-estruturas que nos permitem estar ao nível das melhores do mundo.

O rali de Portugal registou alguns acidentes, algo que acontece naturalmente em todas as provas. Quando isso acontece, de quem é a culpa, da pista ou dos pilotos que não estudaram a pista da melhor forma?
Nos campeonatos do mundo há muita concorrência, há muitas lutas e os troços do rali de Portugal não são fáceis, são muito técnicos, mas é isso que nos faz gostar muito do rali. Quando existem troços técnicos e rápidos como os de Portugal, por vezes, os azares acontecem, mas a verdade é que os acidentes acontecem porque os pilotos conduzem nos limites e esforçam-se ao máximo por conseguirem o melhor resultado. Mas felizmente nenhum dos acidentes registados foram graves e, por isso, pôde-se verificar que a segurança da prova também funcionou muito bem.

Foto: Getty Images

O Armindo Araújo sente-se um motivo de orgulho para Portugal?
Eu tento fazer com que Portugal se orgulhe daquilo que estou a fazer no campeonato do mundo e, obviamente, quando as coisas correm bem é mais fácil ter esse orgulho. Neste momento, Portugal deve estar orgulhoso por estar a liderar o campeonato do mundo de produção.

Mas devia ter mais notoriedade?
Eu percebo o facto de não ser tão falado. Nós estamos a atravessar uma má fase económica e, portanto, não é fácil arranjarmos os apoios que queremos. Felizmente ainda consigo estar no mundial a liderar o campeonato do mundo de produção. Obviamente que com mais apoios poderia fazer melhor mas vamos lutando para continuar entre os melhores.

O que é preciso fazer para melhorar o panorama do rali português?
Neste momento o campeonato português está nivelado por baixo porque há poucos inscritos, a qualidade dos carros já foi melhor mas este é, também, um reflexo da crise que atravessamos.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Elisa Ferreira estabelece requalificação urbana como uma das suas prioridades

Cristiano Ronaldo termina com sonho europeu do FC Porto

O FC Porto foi derrotado, no Estádio do Dragão, pelo Manchester United por 1-0 e foi afastado das meias-finais da Liga dos Campeões. Um golo, aos seis minutos, marcado por Cristiano Ronaldo permitiu aos campeões europeus continuarem em prova e anular a vantagem que o FC Porto construiu em Old Trafford.

Os ingleses entraram no relvado do Dragão com a obrigação de marcar um golo para passar para a frente da eliminatória e foi isso que aconteceu logo aos seis minutos. Cristiano Ronaldo, a cerca de 30 metros da baliza, armou um potente remate e bateu Helton que não tinha qualquer hipótese de defender a bola, e gelou o estádio.

O FC Porto respondeu aos 19 minutos, de bola parada, por intermédio de Bruno Alves. O defesa-central portista cobrou um livre à entrada da área e fez o esférico passar a milímetros do poste da baliza defendida por Van Der Sar.

Os jogadores da casa voltaram a causar perigo junto da baliza do guarda-redes holandês, através de uma bonita jogada colectiva que terminou com um remate acrobático de Rodriguez e com Van Der Sar a defender sem grande dificuldade.

Aos 30 minutos o Manchester United podia ter chegado ao 2-0 através de Ryan Giggs. O galês aproveitou um cruzamente de Berbatov, que Sapunaru não conseguiu cortar, e, já na área, rematou de primeira mas Helton, a dois tempos, terminou com o lance.

Dez minutos mais tarde, foi Bruno Alves que voltou a estar perto de marcar. Desta vez, o livre foi cobrado por Raul Meireles, que enviou a bola para a área inglesa, e o defesa cabeceou o esférico, fazendo-o passar muito perto da baliza adversária.

Ainda antes do intervalo, Vidic, com a baliza escancarada, rematou por cima, após um canto marcado por Giggs.

Na segunda parte, o FC Porto tentou correr atrás do prejuízo mas foram raras as vezes que a equipa conseguiu chegar à baliza de Van Der Sar com objectividade. O melhor lance ocorreu aos 84 minutos. Mariano Gonzalez, que na primeira parte entrou para o lugar do lesionado Lucho Gonzalez, cruzou, desde o lado direito do ataque, e Lisandro Lopez desviou o esférico mas o guardião do Manchester United adivinhou as intenções do avançado argentino e não se deixou bater.

A partida terminou com os protagonistas do golo inglês mas, desta vez, Helton levou a melhor sobre Cristiano Ronaldo, tendo o brasileiro defendido para canto um remate rasteiro mas perigoso do internacional português.

De registar que no final da partida os jogadores do FC Porto foram aplaudidos de pé pelos adeptos da equipa, que mostraram, assim, o agrado pelo comportamento dos comandados de Jesualdo Ferreira na eliminatória perdida com os campeões da Europa.

domingo, 12 de abril de 2009

Entrevista a Adriano Jesus

Foto: Direitos Reservados

A equipa de futsal do Nossa Senhora da Lapa é uma das formações, a competir nos campeonatos distritais, que está em grande destaque. A três jornadas do fim da terceira divisão distrital - série 2, da Associação de Futebol do Porto, a equipa de Rio Tinto já garantiu o primeiro lugar da série, a respectiva subida de divisão e vai lutar para se sagrar campeã distrital com o vencedor da série 1, embora ainda não se conheça o adversário.

O presidente do clube deu uma entrevista em que fala no sucesso da equipa e salienta o espírito de sacrifício dos jogadores, para além de revelar a forma como é possível manter a colectividade de pé.

Foto: Direitos Reservados

A equipa do NS Lapa conseguiu alcançar a subida de divisão ainda com o campeonato a decorrer. É um motivo de orgulho?
É um grande motivo de orgulho porque este é um projecto que tem três épocas, o ano passado não subimos de divisão por um ponto, e este ano conseguimos subir de divisão com, praticamente, todos os jogadores do plantel da época passada. Conseguimos cumprir o nosso objectivo, que era subir de divisão, mas como a época está a correr tão bem vamos disputar o título de campeão distrital com o vencedor da série 1, que à partida deverá ser o Arcozelo ou o Valadares.

Quais os segredos para o sucesso desta temporada?
O segredo foi a adaptação dos jogadores ao futsal porque todos eles jogaram futebol de onze antes de virem para o Lapa. A primeira temporada não correu muito bem, a do ano passado já correu melhor e esta, tendo os mesmos jogadores há três anos, correu muito bem e os jogadores já tratam o futebol por tu.

Esperava no início da época terminar o campeonato de forma tão destacada?
Estaria a mentir se dissesse que esperava que a equipa vencesse o campeonato com tantos pontos de avanço. Contava, isso sim, que o objectivo da subida de divisão fosse cumprido mas, repito, nunca com uma grande vantagem sobre o segundo classificado.

Qual foi, para si, o momento crucial da temporada?
Eu não diria que tenha havido um momento crucial na época. Crucial foi o facto de a equipa, em relação ao ano passado, ter realizado alguns entre dois a três treinos por semana. A maior parte dos jogadores trabalham para mim e o ano passado estivemos muito tempo em Espanha. Isso fez com que não tivéssemos maneira de treinar e depois de tantos quilómetros percorridos, chegávamos cá apenas para jogar ao fim-de-semana.

Os jogadores vão receber qualquer tipo de prémio por estarem a realizar uma época tão bem conseguida?

Sinceramente, antes pelo contrário, os jogadores pagam para jogar. Aqui ninguém recebe e os jogadores vão ajudando naquilo que for preciso, como, por exemplo, no transporte para os jogos, que são alguns atletas que levam os próprios carros e, para além disso, o clube não tem capacidade para lhes pagar a gasolina.

Quais os objectivos para a próxima época, visto que vão jogar numa divisão nova?
Conforme eu tenho visto, a divisão mais difícil é a terceira distrital, portanto a segunda é mais fácil, até porque as equipas que o ano passado subiram da terceira para a segunda, vão subir este ano para a primeira. Sendo assim, os nossos objectivos vão passar por subir à primeira divisão distrital.


Foto: Direitos Reservados


Costumam ter um apoio muito grande por parte dos simpatizantes da equipa?
Sim, até porque se costuma dizer que, quando a equipa vai à frente as pessoas aparecem todas. Temos feito bons resultados até agora e queremos que o público nos continue a apoiar como tem feito até aqui.

De que forma o NS Lapa consegue sobreviver, sabendo-se que existem vários custos na construção de uma equipa?
Montar uma equipa exige dinheiro e, como ajuda, temos três patrocinadores bons, que desde o princípio nos tem ajudado. Para além disso temos, também, o sacrifício por parte dos jogadores. Mas, basicamente, a época está sempre paga pelos três patrocinadores.

E têm algum tipo de ajuda por parte da Câmara Municipal?
Por parte da Câmara Municipal de Gondomar temos a ajuda para as inscrições dos jogadores, que dá, mais ou menos, entre 200 a 300 euros de ajuda ao clube por época.


Foto: Direitos Reservados

Que projectos futuros tem para a equipa?
Na minha opinião a equipa não deve parar. A média de idade dos jogadores situa-se na casa dos 22/23 anos, o jogador mais velho tem 24 anos, e, por isso, têm muitos anos pela frente para evoluir. Já jogam há vários anos seguidos e, se continuarem assim, não falta muito para que, dentro do campo, possam jogar de olhos fechados, devido ao facto de já actuarem juntos há algumas épocas.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

OK4U volta a juntar jovens atletas de hóquei em patins durante o Verão

A equipa do OK4U está a organizar um campo de férias para os praticantes de hóquei em patins que tenham uma idade igual ou superior a cinco anos, no Pavilhão do Centro Social e Paroquial de Alfena.

O campo de férias estará dividido em três estágios (28 Junho a 4 Julho; 7 a 11 Julho; 14 a 18 Julho) e vai contar com a presença de Filipe Santos, jogador do FC Porto e principal mentor do OK4U, João Lapo, treinador do FC Porto e da AP Porto, Edo Bosch e Nélson Filipe, ambos guarda-redes dos "azuis e brancos".

O objectivo é proporcionar aos atletas mais jovens a possibilidade de adquirirem mais conhecimentos sobre o hóquei em patins, conviverem e aprenderem com atletas conhecidos da modalidade e criar um espírito de grupo entre crianças de vários pontos do pais, que durante quatro dias irão conviver diariamente.

Este é já o quinto ano consecutivo que o OK4U organiza o campo de férias, que, para além do hóquei, terá actividades diversificadas, como paintball, tiro com arco, iniciação à equitação, slide e manobra de cordas.

Guilherme Pinto retirou "outdoors" dos partidos para "disciplinar propaganda política"

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Entrevista a André Castro

André Castro está a actuar, esta temporada, no Olhanense, emprestado pelo FC Porto. O médio internacional sub-21 revela que pretende conquistar um lugar nos "azuis e brancos", embora não esteja obcecado com esse objectivo. O jovem jogador fala, também, sobre o treinador Jorge Costa e sobre a falta de clubes algarvios na primeira liga. Sobre a selecção sub-21, da qual faz parte, Castro garante que Portugal está bem servido de jogadores jovens.



Que balanço fazes da época até ao momento?
Penso que esta época está a correr muito bem, tanto a nível individual como colectivo porque estar a lutar para subir de divisão no Olhanense é um motivo de grande orgulho. Para além disso, durante a temporada já fiz vários jogos e marquei três golos.

O Olhanense está num bom momento de forma e nesta altura está bem posicionado para subir de divisão. Acreditas que isso será uma realidade?
Claramente. Desde o início do campeonato que achamos que temos bons jogadores e uma grande equipa, portanto sempre acreditamos que seria possível. E agora, à medida que a época se aproxima do fim, mais do que nunca acredito que isso poderá ser uma realidade.


Tens sido uma das peças fundamentais do meio - campo da equipa. Sentes que está a chegar a hora de tentares conquistar um lugar no FC Porto para o ano?
Sim, penso que estou cada vez mais perto de chegar ao FC Porto e afirmar-me, mas isso não me leva a pensar que tem de ser já na próxima época. Prefiro continuar a jogar para poder evoluir mas todos os dias trabalho para poder ajudar o meu actual clube, o Olhanense, e para um dia regressar e ter qualidade para me impor no FC Porto.


Já algum responsável do FC Porto falou contigo sobre um possível regresso ao clube?
Até ao momento ainda ninguém falou comigo.

Caso não fiques no plantel do FC Porto e caso o Olhanense suba de divisão, admites a hipótese de continuar no clube tanto com um novo empréstimo como a nível definitivo?
Sim, é possível continuar no Olhanense emprestado mas ainda é cedo para falar nisso. Neste momento só penso mesmo na subida à primeira liga.



Sendo o Jorge Costa uma referência do FC Porto, ele dá-te qualquer tipo de conselhos para poderes singrar no FC Porto?
O Jorge Costa é uma pessoa com quem tenho aprendido muito nestes últimos meses. Ele tem-me dado muitos conselhos, tanto a nível pessoal como futebolístico, e posso afirmar que é, para mim, uma grande referência em tudo.

Que importância tem tido ele na tua evolução enquanto jogador?
Ele tem tido uma importância muito grande na minha evolução porque tem apostado em mim. Esta época tenho sido titular e espero sempre retribuir-lhe essa aposta em campo, com boas exibições.

Sendo ele ainda um jovem como treinador, sentes que ele poderá ter sucesso nesta profissão como teve enquanto jogador?
Para mim, ele como treinador vai ter igual ou ainda maior sucesso do que enquanto jogador. O Jorge Costa é uma pessoa de grandes princípios, que defende sempre os seus jogadores, e penso que isso vai levá-lo a grandes sucessos.



Estás a completar uma época no Algarve, região onde existe um estádio que fez parte do Euro-2004 e que agora não é utilizado nos campeonatos profissionais. Falta a essa região uma equipa que esteja nos grandes palcos do futebol português, depois da queda do Farense?
Sim, é verdade que falta uma equipa do Algarve na primeira liga porque é uma zona em que as pessoas gostam muito de futebol e já há alguns anos que não podem vibrar com o futebol da primeira liga, à excepção de alguns jogos recentes disputados no Estádio do Algarve, como o Portugal vs Finlândia e o Benfica vs Sporting.

O Olhanense pode ocupar esse lugar?
Claro que sim. Aliás, espero que isso seja possível já na próxima época.

Em relação à Liga Vitalis, para ti, quais estão a ser as maiores surpresas e as maiores desilusões desta época, sendo que é a primeira vez que jogas neste campeonato?
A maior surpresa é, sem dúvida, a qualidade de todas as equipas e dos jogadores, que faz com que haja uma grande competitividade em qualquer jogo contra qualquer equipa. A maior desilusão talvez seja o facto das bancadas de alguns clubes estarem um pouco vazias.

Quais são as equipas que têm mais possibilidades de lutar pela subida de divisão?
Penso que todas aquelas que estão do meio da tabela para cima ainda têm possibilidade de subir de divisão, mas as grandes favoritas são o Olhanense e o Santa Clara porque desde o início do campeonato que são as mais regulares.

E como tens acompanhado o clube da tua terra, o Gondomar? Que opinião tens sobre a época que está a efectuar?
Realmente não estão a fazer uma época muito conseguida mas espero que não desçam de divisão. A verdade é que neste campeonato, até ao fim, tudo é possível por isso devem acreditar e lutar pela manutenção.



Na Liga Sagres, o FC Porto vai ser campeão?
Por aquilo que tenho visto penso que sim e a verdade é que também desejo muito que isso aconteça. Quero que o FC Porto vença o campeonato, não só por estar contratualmente ligado ao clube mas, também, por ser um adepto do FC Porto e sócio desde os quatro anos.

Trabalhaste com Jesualdo Ferreira durante um ano. Ele merece continuar a treinar a equipa, embora a renovação ainda seja um assunto tabu para os lados do “Dragão”?
Foi um enorme prazer trabalhar com o Jesualdo Ferreira porque aprendi muito, mas não vou comentar acerca do resto.

Na Liga dos Campeões, que hipóteses o FC Porto tem de ultrapassar o Manchester United, campeão da Europa?
O FC Porto com os jogadores que tem pode ganhar a qualquer equipa, portanto tem muitas hipóteses de eliminar o Manchester United.

Caso o teu futuro não passe pelo FC Porto, és capaz de jogar por outro “grande” em Portugal sem ser o FC Porto?
Para ser honesto, não.



És presença assídua na selecção de sub-21 após a renovação que Rui Caçador fez na equipa. Os jogadores que vão actualmente aos sub-21, incluindo tu, podem dar garantias aos portugueses de que continua a existir qualidade nos futebolistas portugueses?
Claro que sim. A nossa equipa de sub 21 já joga junta há muitos anos e temos grandes valores, tanto individuais como colectivos, como demonstramos agora no Torneio da Madeira. Até agora, em cinco jogos perdemos um e ganhamos quatro, sendo que uma das vitórias foi contra a Espanha.

E em relação ao tema dos naturalizados na selecção. Qual é a tua opinião sobre o assunto?
É um assunto sobre o qual prefiro não falar muito, mas isso é algo que não é muito bom para nós, jogadores jovens.

Recentemente houve uma polémica nos sub-21 devido à forma como Pereirinha marcou uma grande penalidade. Aquilo foi, realmente, uma mostra de falta de respeito para com a selecção adversária?
Claro que não. Quem conhece o Pereirinha sabe que era incapaz de pensar tal coisa porque é um jogador de elevado profissionalismo e humildade, assim como o Rui Pedro.

Foste convocado por Carlos Queiroz para fazer um estágio em Rio Maior pela selecção B. Sentes que a tua hora de alinhar na selecção A está perto de acontecer?
Ainda não penso nisso. Neste momento estão tantas coisas que primeiro ainda tenho de conquistar para chegar a esse ponto! Mas claro que jogar na selecção A é um objectivo de qualquer jovem português.

Essa convocatória pode fazer com que seja mais fácil conseguires um lugar no plantel do FC Porto na próxima temporada?
Claro que sim porque qualquer chamada à selecçao é um motivo de grande orgulho e valoriza sempre um jogador.



Gostavas de experimentar o futebol estrangeiro?
Não é algo que ambicione porque o meu sonho é fazer a carreira toda no Futebol Clube do Porto.

Quem é a tua referência futebolística?
Tenho muitas, desde já o Raul Meireles e o Lucho. Para além deles, gosto muito do Gerrard, do Liverpool, e do Lampard, do Chelsea.

Para os adeptos que ainda não te conhecem, como te defines como jogador e quais são as tuas características essenciais?
Não gosto muito de falar de mim, mas, essencialmente, sou um jogador de equipa.

domingo, 5 de abril de 2009

Reportagem à equipa de hóquei em patins do FC Porto

Entrevista a Franklin Pais

Franklin Pais garante que o pensamento do FC Porto em todas as competições, nesta fase final da temporada, é vencê-las mas mostra-se algo cauteloso em relação à Liga Europeia, preferindo pensar "jogo a jogo".

Entre outros temas, o treinador portista acredita que Portugal vai lutar pelo título mundial e que não lhe passa pela cabeça ser seleccionador nacional.



Estamos a entrar numa fase decisiva da temporada. O que é que os adeptos podem esperar da equipa?
Estamos em três frentes, temos o jogo da Taça de Portugal no próximo sábado frente ao Candelária que será um desafio difícil, onde este ano já perdemos para o campeonato (ndr. o FC Porto venceu os açorianos por 1-0, com um golo de Reinaldo Ventura). A seguir haverá uma pausa por causa da selecção nacional e depois temos a meia-final do campeonato com o Benfica, onde pelo meio iremos jogar a Liga Europeia. Portanto, como sempre, o objectivo do FC Porto quando entra numa prova é vencer.

O FC Porto persegue o título da Liga Europeia há vários anos. É este ano que o troféu vem para Portugal?
O nosso pensamento é jogo a jogo. Este ano o formato da “final-eight” é diferente, são oito equipas, qualquer uma delas pode chegar à final e o nosso objectivo, para já, é passar o primeiro jogo com o Bassano. Depois disso logo se vê.

Quais são os adversários a ter mais em conta?
Atendendo aos títulos que tem tido, o Barcelona é, talvez, a equipa mais forte, mas há muitas equipas fortes também. O Vic tem sido a grande surpresa da Liga Europeia e do campeonato espanhol, o Réus tem uma belíssima equipa, o Follonica já foi campeão europeu, o FC Porto é sempre um crónico candidato e o Bassano, que é a equipa organizadora, vai jogar num ambiente que vai causar dificuldades a nós, que os vamos defrontar.

O FC Porto vai defrontar o Benfica nas meias-finais do campeonato. É uma final antecipada?
Todos os jogos para nós são finais. Num “play-off” a regularidade não existe, existe apenas o momento da equipa e nós esperamos não ter mais lesões. Este ano tivemos uma época atípica, com várias lesões ao longo da temporada, e, praticamente, nunca tivemos o plantel completo. Este ano vamos jogar com o Benfica numa eliminatória à melhor de três jogos, os jogos em casa são fundamentais ganhar e vamos pensar em vencer o primeiro jogo.

Caso passe a eliminatória, prefere defrontar a Juventude de Viana ou a Oliveirense?
Para já temos de passar o Benfica e se passarmos qualquer uma dessas duas equipas vai, com certeza, dificultar ao máximo a nossa tarefa porque o FC Porto é campeão há sete anos e o objectivo das outras equipas é tentar destronar esta sequência de vitórias.


Há quem diga que o facto do FC Porto ganhar há tantos anos seguidos, tem feito com que a modalidade se torne mais desinteressante. Concorda com essa opinião?
Não concordo porque o FC Porto tem sido a equipa mais regular ao longo destes anos. Alteraram o formato do campeonato para nos tentarem retirar alguma vitória, mas este ano já foi decretado que para a próxima época não vai haver “play-off” e, portanto, vamos voltar ao sistema antigo, que é o mais justo.

O FC Porto está perto de jogar num pavilhão próprio. O que é que essa alteração poderá mudar na equipa?
Ao longo destes anos, o Pavilhão de Fânzeres tem sido talismã para nós, estamos adaptados a ele e agora vamos ter um novo pavilhão que é bom para o associado e para as modalidades. No entanto, haverá uma altura de adaptação para a equipa e só na próxima época iremos lá jogar.

Portugal vai participar no Torneio de Montreaux para preparar o Mundial de Vigo e o FC Porto tem dois jogadores convocados, Reinaldo Ventura e Caio. Acha que mais jogadores da equipa mereciam ser convocados, já que o plantel tem vários jogadores portugueses campeões nacionais e o Benfica, por exemplo, que é vice - campeão tem quatro atletas na convocatória?
Esse assunto não quero discutir. São opções do seleccionador, nós respeitamo-las e só ele poderá falar sobre essa situação.

E sobre o Mundial, Portugal pode ganhá-lo e esquecer o fracasso de Montreaux em 2006?
Penso que o Mundial de Montreaux foi um acidente de percurso. Agora em Vigo, a equipa portuguesa, juntamente com a italiana, com a argentina e com a espanhola, é candidata ao título final. Tudo depende do momento e da forma dos jogadores mas acredito que vai lutar pelo título mundial, até porque fez um europeu muito bom o ano passado.

O Franklin Pais está ligado ao FC Porto há muitos anos. Consegue imaginar o dia em que não será treinador da equipa?
Temos tido êxito ao longo de todos estes anos que cá estou e, para já, sinto-me bem e não me imagino a sair, por enquanto, do FC Porto.

Ser seleccionador nacional é um objectivo futuro?
Sinceramente não. Eu defendo que o seleccionador nacional tem que ser uma pessoa independente, que não esteja ligada a nenhum clube, para ser imparcial nas decisões que tem de tomar.

Jorge Silva substitui Caio na selecção

O jogador do FC Porto Jorge Silva substituiu o colega de equipa Caio na convocatória da selecção nacional de hóquei em patins.

O seleccionador nacional, Luis Senica, chamou Jorge Silva após Caio ter invocado razões pessoais para não poder integrar a convocatória de Portugal, que vai participar no Torneio de Montreaux.

A prova, que serve para as selecções prepararem o próximo campeonato do mundo em Vigo, irá decorrer entre os dias 10 e 13 de Abril em Clarens, localidade perto de Montreaux.

Convocados de Portugal:

Ricardo Silva - Juventude de Viana
André Girão - Académica de Espinho
Valter Neves - Benfica
Tiago Rafael - Benfica
Pedro Afonso - Candelária
Reinaldo Ventura - FC Porto
Jorge Silva - FC Porto
Ricardo Barreiros - Benfica
Luis Viana - Juventude de Viana
Ricardo Pereira - Benfica

Iniciado da Sanjoanense agredido pelo árbitro

Filipe Neto, jogador dos iniciados da equipa de hóquei em patins da Sanjoanense, foi agredido pelo árbitro Américo Ferreira, do Conselho de Arbitragem do Porto, durante o jogo da sua equipa frente ao Infante Sagres.

Segundo é referido pelo clube de São João da Madeira, "o procedimento do árbitro é inqualificável" e já "foi apresentada queixa na Esquadra da Polícia que identificou o referido árbitro para posteriormente se proceder judicialmente".

Ainda de acordo com o comunicado, o árbitro Américo Ferreira agrediu Filipe Neto "com um pontapé na cabeça, depois do mesmo ter sido atirado ao chão" pelo juiz da partida. "O atleta foi assistido no Pavilhão pelo INEM e levado para o Hospital São João, onde recebeu a devida assistência".

O Tentativa de Jornalismo já tentou contactar a Associação de Patinagem do Porto e o Conselho de Arbitragem para obter uma reacção sobre o caso, esperando, ainda, resposta.

Miúdo moçambicano estagia no Sporting

Filipe Romero, moçambicano com 12 anos de idade, está a estagiar com a equipa de infantis de hóquei em patins do Sporting.

O atleta pertencente aos quadros do Deportivo, Moçambique, e é tido como uma das "grandes potências mundiais da modalidade".

O treinador do Sporting, Luiz Barata, garante que Filipe Romero, a treinar desde o dia 30 de Março com os "leões", surpreendeu pela positiva "porque patina bastante bem, conseguindo acompanhar perfeitamente o resto do grupo de infantis com quem treinou".

Para o técnico leonino, os pontos fracos de Romero resumem-se à parte técnica, devido às deficiências de ensino, de falta de ritmo e de competição, mas "esta experiência vai certamente ajudá-lo a evoluir e a crescer".

Porém, a "estrela" do Deportivo, por ser menor de idade, irá voltar para o país natal, segundo o Jornal Notícias de Mozambique, "para continuar os estudos e tratar com mais vagar a sua ida definitiva para o Sporting".

sábado, 4 de abril de 2009

Entrevista a Filipe Santos

O capitão da equipa de hóquei em patins do FC Porto, Filipe Santos, confessa que a equipa está habituada a vencer e não coloca de parte uma possível vitória na Liga Europeia. Sobre a selecção, o número dois dos "azuis e brancos" garante que Portugal tem condições para lutar pelo título mundial.

Como capitão de equipa do FC Porto, o que é que pode prometer aos adeptos nesta fase final da temporada?
Eu, como toda a equipa, podemos prometer muita dedicação e muito trabalho. Estamos numa altura decisiva da época e é importante ter o apoio deles, principalmente nos próximos jogos que vamos fazer em Fânzeres, porque são jogos que podem definir o sucesso ou o insucesso de uma época desportiva.

Há alguma ansiedade na equipa do FC Porto por poder voltar a fazer história, caso conquiste novamente o campeonato nacional?
Não, nós trabalhamos para ganhar não só para conquistar o oitavo título consecutivo mas, também, porque estamos habituados a vencer. Queremos que os jogos decisivos cheguem depressa e queremos estar bem para podermos revalidar o título.


E para a Liga Europeia, o pensamento é o mesmo?
Só o facto de estarmos na “final-eight” da Liga Europeia é muito importante. Nós habituamo-nos constantemente a estar nas fases finais e o facto de o ano passado não estarmos lá, foi um pequeno insucesso que tivemos. Agora, estando lá tudo é possível. São jogos a eliminar, embora saibamos não vai ser fácil porque estão lá as oito melhores equipas da Europa e do Mundo.

O FC Porto não tem, realmente, a tarefa facilitada porque vai defrontar a equipa organizadora, o Bassano, e em caso de vitória jogará com o Réus ou com o Barcelona.
Temos a noção das dificuldades mas para sermos campeões europeus temos de ganhar três jogos contra equipas muito difíceis.

Como português, que expectativas tem em relação à selecção portuguesa para o próximo mundial de Vigo?
Penso que depois do insucesso de há dois anos, no europeu passado as coisas já estiveram dentro do normal para a selecção portuguesa, que é chegar à final, e só não conseguiram mais por outras razões (ndr. o golo anulado a Luís Viana que daria o empate frente à Espanha na final, jogo que Portugal perdeu 1-0). Agora, para Vigo a selecção tem capacidades e probabilidades de chegar à final, que é o mais importante, e depois a final é um jogo que, apesar de ser disputado em Espanha, que tem uma equipa muito forte e habituada a ganhar, há sempre algumas possibilidades.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Portugal concentra-se dia 6 para preparar qualificação para o Mundial

A selecção nacional de juniores A masculinos volta a juntar-se no próximo dia 6 para realizar o último estágio antes de jogar a fase de qualificação para o mundial de sub-21.

A selecção orientada por Rolando Freitas e Pedro Vieira realizou um penúltimo estágio em Guimarães e os atletas vão-se juntar novamente na Guarda, cidade onde vai ser jogada a qualificação.

Rolando Freitas assume o favoritismo na fase de qualificação e garante que se a selecção "for suficientemente humilde, responsável e se os jogadores trabalharem e se empenharem como fizeram até aqui, temos todas as condições para nos apurarmos para o Campeonato do Mundo".

Para o capitão da selecção junior, Fábio Magalhães, "somos considerados favoritos mas isso não nos afecta. Estamos bem preparados, somos um grupo muito unido e todos pensamos que poderemos ultrapassar esta fase de qualificação".

Portugal está inserido no grupo 2 da fase de apuramento, juntamente com a Bélgica, Geórgia e Turquia, sendo que os jogos irão realizar-se no Pavilhão São Miguel, na Guarda.

Diogo Carvalho e Nádia Vieira na final do Open de Espanha

Os nadadores Diogo Carvalho e Nádia Vieira estão apurados para a final dos 400 estilos. Para além dessas qualificações, Simão Morgado qualificou-se para as meias-finais dos 100 metros mariposa.

Diogo Carvalho foi o terceiro mais rápido das eliminatórias com o tempo de 4:25:39 enquanto que Nádia Vieira ficou em oitavo alcançando o tempo de 4:57:45, e fixando, assim, um novo recorde pessoal.

Por seu lado, o nadador apurado para as meias-finais, Simão Morgado, terminou em quinto lugar nos 100 metros mariposa com a marca de 54:07. Na mesma prova, João Gigante ficou em 18º, 56:08, e Nuno Quintanilha na posição a seguir, com o tempo de 56:16.

Na prova de 200 livres estiveram presentes quatro nanadores portugueses, sendo que dois deles alcançaram mínimos para competirem nas Universíadas de Belgrado, César Faria e Fábio Pereira. O nadador Jorge Maia também atingiu tempos que permitem entrar nas Universíadas mas não poderá participar nelas porque não é estudante universitário.

Festa de Portimão já mexe

As setenta selecções distritais sub-16 e sub-14 que participam na Festa do Basquetebol Juvenil, em Portimão, já começaram a disputar os primeiros jogos mas o resultado tem sido o menos importante.

Entre alguns resultados desnivelados, têm-se registado, também, resultados equilibrados mas a confraternização entre vários atletas tem sido o prato forte da festa.

Os envolvidos respiram basquetebol e a opinião é que "a festa está muito boa e está a ser uma experiência muito boa", como afirma Marta Mendes, atleta sub-14 da Guarda.

Para o treinador sub-16 masculino da Madeira, "o evento está ao nível do ano passado, embora a qualidade de jogo tenha descido um bocadinho".

Helton regressa aos convocados do FC Porto

Jesualdo Ferreira fez duas alterações na convocatória do FC Porto para o jogo frente ao Vitória de Guimarães, em relação à última partida realizada frente ao Estrela da Amadora. Os nomes de Helton e Rabiola são as novidades em detrimento de Lisandro e Ventura.

O avançado argentino saíu da convocatória após ter sido suspenso por um jogo, devido à simulação que deu grande penalidade aos "azuis e brancos" no clássico frente ao Benfica e que permitiu ao FC Porto empatar a partida. Por seu lado, Ventura cedeu o lugar a Helton por opção de Jesualdo Ferreira.

No último treino antes da partida com os vimaranenses, os campeões nacionais já puderam contar com os internacionais argentinos, Lisandro e Lucho, e com o internacional uruguaio, Rodriguez.

Sob orientação do departamento médico continuam Benitez, Guarin, Pedro Emanuel e Fucile.

Lista de convocados:

Guarda-Redes: Helton; Nuno

Defesas: Bruno Alves, Cissokho, Rolando, Sapunaru, Stepanov

Médios: Andrés Madrid, Fernando, Lucho Gonzalez, Mariano, Raul Meireles, Rodriguez, Tarik Sektioui, Tomás Costa

Avançados: Farías, Hulk, Rabiola

Entretenimento

O Magalhães chegou às Novas Oportunidades?

Aí está um dos empregos que o Estado ajuda a criar! Já enviei o Currículum Vitae! :D

Era bem capaz sim senhor!


O Homem troca de posição com o televisor?


É mesmo caso para nos interrogarmos: "Só?"

Estamos em época de aposta nas energias renováveis.


Quem disse que há impossíveis?

CM Matosinhos celebra acordo para tratamento paisagístico das estradas do concelho

A Câmara Municipal de Matosinhos assinou um protocolo com a LusoScut, tendo em vista o tratamento paisagístico das estradas do concelho.

O protocolo com a LusoScut define que a autarquia irá ser responsável pelas paisagens das estradas de Matosinhos, ao passo que a empresa de auto-estradas vai financiar o custo das intervenções, que deverá rondar os 600 mil euros.

As áreas inseridas são os lanços A4/IP4 - Sendim/Águas Santas, VRI - Lanço Nó do Aeroporto/IP e A41/IC24 - sublanço Freixieiro/Alfena, que se inserem dentro da área de Matosinhos.

Reportagem: